Pág. Inicial
Contactos
Orgãos Sociais
Serviços
Produtos
Genética
Agricultor 2000
Restaurante AASM
PARQUE DE EXPOSIÇÕES
Parque de Exposições de São Miguel - SANTANA
RAÇÕES SANTANA
Rações Santana
ADUBOS SANTANA
Adubos Santana
GENÉTICA
Genética 2015
PRODUTOS
CARTÃO DE SÓCIO
Cartão de Sócio/Vantagens
Vantagens e Protocolos
MAGAZINE HOLSTEIN
Magazine Holstein Internacional
 
Editorial

Jorge Alberto Serpa da Costa Rita


Editorial




Jorge Alberto
Serpa da Costa Rita

  Ultraperiferia um conceito estratégico para os Açores

A União Europeia continua a ter nos Açores uma importância decisiva a nível político, estratégico e económico, sendo desde a adesão do país, em 1986, um fator de coesão territorial, embora, num processo como este, existam sempre debilidades e fragilidades, que acabam por acontecer quando estão envolvidos 28 Estados membros e muitas regiões, pelo que, por vezes, são criadas medidas que não são consensuais, por irem de encontro às pretensões de uns, em prejuízo de outros.

No entanto, esta tem sido uma União que tem na sua generalidade sabido defender os mais pequenos e as regiões mais desfavorecidas e esta pretensão tem de continuar a ser um objetivo estratégico dos Açores e o conceito de ultraperiferia deve ser a principal linha orientadora da política externa da região, porque só assim, é que poderemos defender as nossas especificidades no contexto europeu.

Desta forma, a estratégica tem de passar pela nossa afirmação enquanto região ultraperiférica que possui características muito particulares que são facilmente constatáveis, nomeadamente, no setor agrícola, e na área do leite em particular, porque não nos poderemos equiparar a qualquer país da Europa produtor de leite e mesmo ao continente, atendendo, à dimensão ou dispersão geográfica da região ou à não existência de alternativas viáveis a esta produção, onde aliás, se investiu muito nas últimas décadas, existindo na atualidade, capacidade instalada e produtores de excelência que devem continuar a ser apoiados e incentivados.

A participação e presença em Bruxelas para defender os interesses dos Açores tem de ser constante e persistente, por isso, a Associação Agrícola de São Miguel e a Federação Agrícola dos Açores sempre que solicitadas, têm estado em diferentes fóruns, para reforçar a importância da agricultura na coesão socioeconómica das ilhas e no caso da fileira do leite, onde a abolição das quotas leiteiras poderá ter graves consequências, ainda é mais premente a presença na Comissão Europeia ou no Parlamento Europeu, uma vez, que a falta de um lóbi Açoriano no centro da Europa, é por todos conhecido.

Temos de afirmar e solidificar a voz da Agricultura Açoriana e ficamos satisfeitos, quando outros intervenientes da sociedade valorizam as nossas reivindicações para o setor em Bruxelas, porque, essa é uma forma de defesa dos interesses regionais.

Ainda existem muitas 'batalhas' para serem ganhas em Bruxelas no contexto do estatuto de Ultraperiferia e a procura de medidas adicionais para o setor leiteiro, que permitam suavizar os impactos da abolição das quotas leiteiras, tem de ser um objetivo para todos, pelo que, é necessária uma reivindicação consistente capaz de defender os Agricultores Açorianos e que precisa da colaboração de todos.

 
 
 
EDITORIAL
Presidente da AASM
Jorge Alberto Serpa da Costa Rita
NOTÍCIAS AASM
Notícias da AASM
Jornal Agricultor em versão PDF
Jornal Agricultor em versão PDF
Outras edições:
SUPLEMENTO
Suplemento do Jornal Agricultor em versão PDF
INFORMAÇÕES
RESTAURANTE AASM
Restaurante da Associação Agrícola
CONCURSO
I Concurso Micaelense - Raça Holstein Frisia de Outono
      Emails: aasm@aasm-cua.com.pt  ::  cua@aasm-cua.com.pt 
      © 2015
- AASM :: CUA, Todos os direitos reservados
 Definir como Página Principal  |  Voltar para cima