Inicio
Contactos
Orgãos Sociais
Serviços
Produtos
Genética
Concursos Holstein Frísia
Agricultor 2000
Restaurante
PRODUTOS CUA
Produtos CUA
Campanha Pneus
RAÇÕES SANTANA
Fábrica Rações Santana
ADUBOS SANTANA
Adubos Santana
GENÉTICA
Genética 2016
PRODUTOS
CARTÃO DE SÓCIO
Cartão de Sócio/Vantagens
Vantagens e Protocolos
MAGAZINE HOLSTEIN
Magazine Holstein Internacional
Holstein Internacional APP
METEOROLOGIA
Previsão do tempo
Notícias

José Sousa Uva " quadro de apoios é favorável à continuidade da agricultura nos Açores"




O diretor de agricultura e desenvolvimento rural da Comissão Europeia, José Sousa Uva, falou sobre a reforma da PAC e os efeitos das propostas legislativas para 2014-2020, em especial para o desenvolvimento rural.

Na conferência que teve lugar na sede da Associação Agrícola de São Miguel, José Sousa Uva começou por destacar os principais desafios que enfrenta a agricultura e que passam por desafios económicos (como a segurança alimentar, volatilidade dos preços e a crise económica), ambientais (como emissões de gases de efeitos de estufa, degradação dos solos e qualidade da água e do ar) e territoriais (que passam pela vitalidade das zonas rurais e diversidade da agricultura na União Europeia).

Perante estes principais desafios, José Sousa Uva estabeleceu como objetivo "aumentar a competitividade" da agricultura sendo para isso estabelecida como instrumento uma "Política Agrícola que responde a essa competitividade" com instrumentos melhorados para reagir à evolução do mercado, um conjunto de instrumentos de gestão do risco, a melhoria da posição dos agricultores na cadeia de abastecimento e ainda investigação, inovação e transferência de conhecimentos e um melhor sistema de aconselhamento agrícola "para uma produção mais verde" que é a dimensão ecológica da PAC.

Além da competitividade, o responsável pela Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural da Comissão Europeia destaca uma sustentabilidade melhorada para alcançar os objetivos da reforma da Política Agrícola através de um novo pagamento ecológico no primeiro pilar, condicionalidade reforçada relativamente às alterações climáticas e duas prioridades ambientais para o desenvolvimento rural.

Para uma maior eficácia há ainda uma restruturação das ajudas diretas, um quadro estratégico comum para os fundos da UE, redistribuição das ajudas diretas entre e dentro dos Estados-Membros, alocação das dotações do desenvolvimento rural e também a simplificação da política. Tudo combinado com uma maior flexibilidade entre o primeiro e o segundo pilar.

José Sousa Uva explicou que o desenvolvimento rural passa a ter um novo quadro com a Estratégia Europa 2020 que passa a ter um Quadro Estratégico Comum, onde os vários fundos refletem "objetivos temáticos comuns a serem tratados por ações chave para cada um dos fundos".

Em termos de prioridades da União Europeia para o Desenvolvimento Rural 2014-2020, são apresentadas 20 medidas e 6 prioridades, duas das quais de ordem climática.

A primeira prioridade tem a ver com o fomentar da transferência de conhecimento e inovação, "que coloca a tónica na qualidade que é muito importante e vai ao encontro das necessidades do setor", admite Sousa Uva.

Já a segunda prioridade tem a ver com melhorar a competitividade e viabilidade económica, enquanto a terceira prioridade pretende promover a organização e gestão de cadeias alimentares. As prioridades 4 e 5 são de ordem climática e têm essencialmente a ver com a restauração e preservação dos ecossistemas e a eficácia na utilização dos recursos.

A prioridade 6 tem a ver com a promoção do desenvolvimento de novas tecnologias, promovendo a inclusão social e redução da pobreza.

Como novidade para os Açores, José Sousa Uva salientou que o apoio público que é dado a estas medidas permite às Regiões Ultraperiféricas beneficiarem do máximo de apoio público de 75%, havendo ainda "suporte de jovens agricultores, investimento coletivos a zonas de condicionantes naturais que podem beneficiar de acréscimos em que o suporte público atinja 90%, ou seja o quadro é favorável para a continuação da vossa atividade económica", acrescentou.

Em relação ao POSEI, que está em fase de adaptação em consequência ao Tratado de Lisboa, também permite a continuidade da atividade e José Sousa Uva explica que para os Açores "o orçamento de hoje para o POSEI é na ordem dos 76 milhões, sendo 70,5 milhões de apoio à produção local e 83% destes fundos são para sector do leite e da carne. Todas as ajudas são ligadas e fundos podem ser transferidos de uma medida para outra. A utilização destes fundos aumentou nos Açores de 82% em 2007 para 97% em 2010, um ritmo de execução bastante favorável".

O responsável europeu adiantou no entanto a necessidade de diversificação uma vez que "sabemos que as quotas do leite vão terminar em 2015, será feito o relatório de situação em 2014 e um segundo relatório em 2018 para o setor leiteiro para fazer balanço da aplicação da inexistência de quotas", o que torna cada vez mais necessário que o agricultor tenha uma perspetiva de mercado e de cadeia.



Outras notícias ...

“Existe uma anarquia total no setor leiteiro a nível europeu”

Leite foi o “embaixador dos Açores” na maior feira agrícola do país

“Era importante que as campanhas de apelo ao consumo de leite tivessem efeitos fora de Portugal”

Produtores micaelenses presentes na Feira Agrícola Açores 2016 realizada na ilha do Pico

“Há uma negação da solidariedade e da responsabilidade das decisões a nível europeu”

Medidas de Bruxelas para ajudar o setor leiteiro “são paliativos”

CAP e Governo Regional confiantes que resposta para a crise no leite tem de vir de Bruxelas

Stand da AASM foi ponto de paragem obrigatória para a classe política

Santarém: palco da maior feira agrícola do pais

Sabores dos Açores: da descoberta ao encanto passando pelo reencontro

EDITORIAL
Presidente da AASM
Jorge Alberto Serpa da Costa Rita
NOTÍCIAS AASM
Jornal Agricultor em versão PDF
Jornal Agricultor em versão PDF
Edições anteriores:
SUPLEMENTO FNA16
Suplemento Feira Nacional da Agricultura - PDF
REVISTA HOLSTEIN
Revista Holstein
CONCURSOS
II Concurso Micaelense - Raça Holstein Frísia de Outono
Concursos Micaelense - Raça Holstein Frísia
40 ANOS AASM
Vídeos 40 Anos AASM
SUPLEMENTO
Suplemento do Jornal Agricultor em versão PDF
INFORMAÇÕES
RESTAURANTE AASM
Restaurante da Associação Agrícola
      Emails: aasm@aasm-cua.com.pt
      © 2016 - AASM :: CUA, Todos os direitos reservados
 Definir como Página Principal  |  Voltar para cima